• 28 de junho de 2022

Marrocos lança agência regulatória de cannabis

 Marrocos lança agência regulatória de cannabis

A agência reguladora nacional do Marrocos, que supervisiona o uso de cannabis para uso médico, se reuniu pela primeira vez na quinta-feira (02/06) em uma das últimas etapas antes da legalização no maior produtor de haxixe do mundo. 

A nação norte-africana adotou uma lei em 2021, autorizando provisoriamente os usos legais da cannabis para fins medicinais, cosméticos e industriais, e encarregou uma agência nacional para supervisionar o processo.

Presidida pelo Ministro do Interior, Abdelouafi Laftit, a “Agência Nacional de Regulação das Atividades de Cannabis” aprovou seu cronograma e orçamento para o ano de 2022. 

Responsabilidades da agência

A agência será responsável por controlar todas as etapas da cadeia produtiva, desde a importação de sementes até a comercialização dos produtos oriundos da cannabis. 

Também incluirá a supervisão dos procedimentos de licenciamentos para operadores nacionais e internacionais da indústria legal da cannabis. A agência também organizará e supervisionará cooperativas de agricultores locais. 

Produção no país

A produção de cannabis no país do norte da África foi estimada em mais de 700 toneladas em um estudo de 2020 da Iniciativa Global contra o Crime Organizado Transnacional. 

De acordo com um relatório de 2020 do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Marrocos é o maior produtor de haxixe do mundo.

Maior do mundo 

A produção foi proibida no Marrocos em 1954, mas não seguiu adiante, pois seu cultivo fornecia (e fornece até hoje) sustento para pelo menos 60 mil famílias, cultivando cerca de 55 mil hectares. A agricultura está concentrada nas pobres montanhas do norte de Rif. 

Agora, o país espera que o cultivo de cannabis para fins medicinais se torne um negócio lucrativo e coloque o Marrocos no mercado global como forte “player”.

Arthur Pomares

Jornalista e produtor de conteúdo da Cannalize. Apaixonado por café, futebol e boa música. Axé.

Mais Notícias