• 19 de maio de 2022

Lote de Mevatyl é suspenso pela Anvisa

 Lote de Mevatyl é suspenso pela Anvisa

Foto: Agência UNO

O remédio feito com a cannabis ainda precisa passar por uma contraprova. Caso seja reprovado novamente, a Anvisa pode proibir o comércio.

Na última semana a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu um lote do Mevatyl, medicamento à base de cannabis vendido aqui no Brasil. O remédio foi reprovado em uma análise do órgão e segue para contraprova.

Publicada no Diário Oficial da União, na sexta-feira (20), a  justificativa do órgão foi motivada por um laudo de análise inicial, feito pela fiscalização.  Ele apresentou resultados diferentes na quantidade de canabinoides em relação ao indicado na embalagem.   

Comercializado em outros países com o nome de Sativex, trata-se de um medicamento para tratar convulsões moderadas e graves, decorrentes da Esclerose Múltipla, geralmente utilizado quando nenhum outro tratamento convencional está funcionando ou demonstrando algum tipo de melhora.

Foto: Agência UNO

Mais THC

Este foi o primeiro medicamento derivado da cannabis no Brasil. Aprovado em 2017, ele contém uma quantidade maior de tetraidrocanabinol (THC), componente da cannabis que gera os efeitos psicoativos. 

Ao contrário dos produtos convencionais feitos com a planta, as quantidades de Canabidiol (CBD) e THC são parecidas. O Mevatyl atua em alguns sintomas da Esclerose Múltipla, ajudando a relaxar os músculos contraídos, e na função motora. 

Isso porque o remédio influencia o Sistema Nervoso. Os efeitos antiinflamatórios dos chamados canabinoides também podem ser um supressor imunológico.

Lote do Mevatyl pode ser recolhido

Para ter certeza, o laudo segue para uma análise de contraprova. Durante este período ele não pode ser distribuído e nem comercializado. 

Caso o remédio seja reprovado novamente, a Anvisa irá proibir a distribuição e o comércio do medicamento no país, além de determinar o recolhimento dos produtos que já estão no Brasil.

Vale ressaltar que a empresa tem o direito de defesa e pode apresentar um perito indicado por ela. Caso o remédio passe na contraprova, o lote passará por uma terceira análise para o parecer final. 

Todo esse processo tem um prazo de até 90 dias para ser feito.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias