• 20 de maio de 2022

Levantamento reforça o uso da cannabis para tratar ansiedade

 Levantamento reforça o uso da cannabis para tratar ansiedade

Arte: Toby VanWeston

Os pesquisadores analisaram os dados de pessoas com ansiedade generalizada que foram tratadas com a cannabis no Reino Unido e os resultados foram positivos

Através de dados coletados pelo Registro de Cannabis Médica no Reino Unido, pesquisadores conseguiram relacionar a cannabis ao tratamento do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) com resultados promissores desde o primeiro mês.

Publicado no Expert Review of Clinical Pharmacology, o estudo analisou um total de 67 pacientes com a condição. A partir dos relatos eles puderam entender se houve ou não uma melhora na qualidade de vida.

Eles fazem parte do primeiro grupo de pacientes que foram receitados com a cannabis para o tratamento da ansiedade no Reino Unido. 

Arte: Toby VanWeston

Ansiedade Generalizada

Diferente da maioria dos transtornos de ansiedade, nos quais há crises agudas com sintomas físicos intensos, o paciente com o Transtorno de Ansiedade Generalizada sofre com uma ansiedade mais amena, porém constante 

Basicamente é como se o paciente simplesmente não conseguisse parar de se preocupar.

Embora ainda faltem mais estudos para comprovar a eficácia da cannabis para o tratamento do transtorno, cada vez mais pessoas têm utilizado o método alternativo.  

Só na Califórnia, nos Estados Unidos, por exemplo, quase 40% das pessoas diagnosticadas com o transtorno utilizam a cannabis como tratamento. Ela também é receitada no Brasil, através de associações e clínicas particulares. 

Resultados

A maioria dos participantes eram homens, com 67% contra 33% de mulheres. Mas todos tinham idade média de 38 anos. O estudo também evidenciou que apenas 21% deles nunca tinham utilizado a cannabis antes. 

Para medir a melhora, os pesquisadores utilizaram a Escala de Transtorno de Ansiedade Geral (GAD-7), EQ-5D-5L, que mede a qualidade de vida relacionada à saúde. Além da escala de Qualidade do Sono (EQS) em um, três e seis meses.

Os resultados foram animadores. As estatísticas mostraram uma melhora na qualidade de vida em todos os três períodos dos testes, com respostas clinicamente significativas.

Antes da cannabis, a pontuação média dos pacientes era de ansiedade moderada a grave, mas desde o primeiro mês de uso do fitofármaco as respostas mudaram e os participantes passaram a relatar ansiedade leve. 

Vale ressaltar que as descobertas são baseadas em dados coletados de estudos clínicos, randomizados em pessoas com o transtorno do Registro de Cannabis Médica.

 

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias