• 28 de fevereiro de 2021

Larica: O que é e por que a maconha dá fome?

 Larica: O que é e por que a maconha dá fome?

Arte: Andrea Scafasci

Tenho quase certeza que você já sentiu uma fome enorme depois de fumar a erva. Mas por que isso acontece? Entenda

Não há o que discutir, a maconha gera efeitos no corpo e na mente. Em uns com mais intensidade e outros quase imperceptíveis.

Algumas tragadas da erva podem resultar em uma fome enorme, uma sonolência e até uma “bed”, mas a fome, em geral, é a reação mais comum.

Essa reação do organismo à maconha é a famosa larica. Mas como ela acontece?

O que chamamos popularmente de “larica”, é a conexão de algumas moléculas da cannabis com os receptores do apetite do nosso corpo.

Arte: Andrea Scafasci

Vou te explicar melhor.

A cannabis gera os efeitos no nosso organismo, por causa dos seus canabinoides, pequenas moléculas que podem interagir com um sistema do nosso corpo chamado Sistema Endocanabinoide.

Ele ajuda a regular várias funções, como sistema nervoso e sistema imunológico, que podem influenciar em áreas como o humor, sono e, claro, fome.

É o nosso organismo que geralmente produz canabinoides para ajudar nesta estabilização. Quando algo não vai bem, ele é produzido e se conecta com os receptores canabinoides, espalhados por todo o organismo.

 No entanto, receber algumas destas moléculas de fora, também não é ruim. É por isso que a cannabis é tão benéfica no tratamento de várias condições.

 Quando a maconha é inalada o tetrahidrocanabinol (THC), principal canabinoide que gera os efeitos psicoativos da planta, se conecta com os receptores do sistema nervoso central que controlam a fome e o apetite.

Isso confunde o cérebro, ele não entende que já estamos satisfeitos e a fome vem mesmo quando se acaba de comer.

Influência hormonal

O canabinoide também pode desencadear um surto de um hormônio chamado grelina, mais conhecido como hormônio da fome.  

O hormônio geralmente é ativado quando o estômago está vazio, enviando uma mensagem para o cérebro dizendo que é hora de comer.

Ele é produzido pelas células do estômago e também é responsável pela sensação de fome e gasto de energia. No entanto, outra das suas funções são as mudanças agressivas nos hábitos alimentares. 

Este hormônio influencia na nossa relação com a comida, que pode ser visto no desejo de comer algo doce ou uma comida específica, por exemplo.

Aqui, neurônios responsáveis pela saciedade, como o PVH MC4R são inibidos, fazendo com que a fome provocada não tenha fim.

Então a maconha pode engordar?

Por si só ela não engorda, pois a sua influência é apenas dentro da mente. Por mais que o indivíduo sinta fome, esse é um comportamento do cérebro e não uma necessidade do corpo.

Para se ter uma ideia, uma pesquisa realizada em 2019 e publicada no International Journal of Epidemiology, comparou o Índice de Massa Corporal (IMC) de 30 mil usuários de maconha, com pessoas não fumantes.

O resultado foi que os consumidores da erva apresentavam uma taxa bem menor de obesidade que pessoas que não fumavam.

Isso quer dizer que a larica é um efeito da mente, portanto ela não está diretamente ligada aos ganhos ou perdas de peso.

Mas cuidado! Essa sensação de fome pode fazer você comer muito sem necessidade e aí sim engordar.

Foto: Freepik

Usando isso ao favor da saúde

A reação provocada pela larica pode ser usada para estimular a fome em pessoas com condições como AIDS e câncer, por exemplo.

As terapias destas condições podem causar uma série de efeitos colaterais, como falta de apetite ou falta de prazer pela comida.

A famosa “larica” pode contornar esses efeitos e proporcionar uma melhor alimentação e consequentemente, uma melhor qualidade de vida.

Essa reação também pode ser usada para casos de anorexia, há até um medicamento feito com canabinoides sintéticos que é indicado para casos assim.

No entanto, é importante destacar que aqui a cannabis não é sempre fumada, mas nestes casos, é optado o uso através do óleo e da vaporização.

 

Avatar

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias