• 28 de junho de 2022

Labirintite: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

 Labirintite: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Você já sentiu ou ainda sente dores de cabeça com muita frequência, podendo até te atrapalhar em suas atividades diárias? Isso pode ser um sinal de labirintite. Vamos entender melhor sobre.

Mas o que é labirintite e como ela ocorre? Basicamente, a labirintite acontece através de uma infecção viral ou bacteriana, mas também surge devido a lesão na cabeça, alergia, reação a um determinado medicamento ou transtornos na circulação sanguínea, que afetem o ouvido interior ou o cérebro.

Apesar do termo “labirintite” ser utilizado com muita frequencia, do ponto de vista científico ele é pouco preciso. 

Geralmente, problemas que terminam em “ite” sugerem uma inflamação como foi dito acima, nem tudo o que compromete o labirinto envolve grandes processos inflamatórios, pode ser ocasionada também por lesões ou reações a medicamentos.

Ela se manifesta, em geral, depois dos 40 anos, por diversos fatores, desde de alterações metabólicas a uso de substâncias químicas. 

Causas

Antes de abordar as causas, é importante entender que existem dois tipos de labirintite:

Labirintite infecciosa

Labirintite viral ou vírica: A labirintite vírica ocorre quando o agente causal é um vírus.

  • ­­­Congénita: As causas mais comuns são a Rubéola e a infecção por Citomegalovírus no período pré-natal, ou seja, na barriga da mãe.

  • Adquirida: Estas infecções ocorrem no período pós-natal, ou seja, depois do nascimento. A papeira e o sarampo apresentam-se como causas possíveis.

Labirintite Bacteriana: A labirintite bacteriana ocorre quando o agente causal é uma bactéria. É uma consequência potencial de uma meningite ou de otite média aguda ou crónica.

  • ­­­Supurativa: A Labirintite bacteriana supurativa ocorre quando o agente causal é uma bactéria e há invasão bacteriana direta do labirinto.

  • Serosa: A labirintite bacteriana serosa ocorre no decurso de uma infecção bacteriana mas por passagem de mediadores inflamatórios para o ouvido interno que lesionam o labirinto, sem invasão bacteriana direta.

Labirintite Inflamatória

  • Labirintite pós-traumática ou pós-cirúrgica: As labirintites podem ocorrer por contaminação do labirinto com sangue ou ar, o que pode ocorrer num traumatismo ou cirurgia.

  • Labirintite auto-imune: A Labirintite auto-imune é rara e acontece quando o nosso sistema imune “ataca” partes do nosso corpo.

Principais Sintomas

Na labirintite, o paciente pode sentir que o ambiente está girando ao seu redor, ou que ele está rodando em volta do ambiente.

Já a tontura vem acompanhada de uma sensação de queda, de desequilíbrio e de instabilidade.

Além desses dois sintomas clássicos, o paciente com labirintite também pode ter:

  • Náuseas e vômitos durante as crises;
  • Perda ou diminuição da audição;
  • Sudorese (suor em excesso);
  • Zumbidos nos ouvidos 
  • Alterações gastrointestinais.

Possíveis Tratamentos

Como qualquer inflamação ou infeção, um bom repouso é uma boa hidratação, beber bastantes líquidos como água, chás, entre outros.

Existem algumas classes de medicamentos (ou remédios) que podem ser usados no tratamento sintomático da vertigem como as benzodiazepinas (como por exemplo o diazepam que funciona como depressor do sistema nervoso central), a Beta-histina, os Antagonistas dos canais de cálcio (como a cinarizina e flunarizina), entre outros.

De forma geral, a labirintite tem cura e existem formas diversas de aliviar seus sintomas por meio de boas práticas.

Como foi dito, ao receber o diagnóstico médico dessa condição, o paciente pode passar a fazer o uso de remédios para a labirintite. 

Além disso, pode evitar por um tempo ir a locais lotados, com grande aglomeração de pessoas; adotar uma alimentação mais saudável, para reduzir os níveis de ácido úrico e evitar mudanças de posição repentinas e luzes fortes até que os sintomas se amenizem de forma progressiva.

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias