• 25 de setembro de 2021

Irlanda apresenta primeiro medicamento para epilepsia derivada da cannabis

 Irlanda apresenta primeiro medicamento para epilepsia derivada da cannabis

Os pacientes irlandeses em breve terão acesso a um medicamento para epilepsia derivado  da cannabis gratuitamente por meio do serviço de saúde do país.


De acordo com a empresa europeia de biofarma, MGC Pharma, como parte do Programa de Acesso à Cannabis Medicinal (MCAP), seu Produto Medicinal Investigacional (IMP) para epilepsia derivado da Cannabis, será agora totalmente coberto pelo sistema de saúde na Irlanda.

O medicamento é feito dos  fitocanabinoides da planta, projetado para o tratamento de epilepsia resistente a medicamentos. Ele possui um alto teor de CBD, e baixo de THC, e foi disponibilizado para distribuição e prescrição na Irlanda em 2019.

Os profissionais médicos na Irlanda podem prescrever o medicamento para pacientes sob seus cuidados para uma variedade de condições médicas, além da epilepsia.

Outras indicações para as quais o medicamento já foi prescrito são para as seguintes condições:

Todas essas condições sob esquemas de acesso a cannabis.

Objetivos e expectativas

Roby Zomer, cofundador e diretor administrativo da MGC Pharma, disse em um comunicado:

“Este é um momento chave para a MGC Pharma e para os pacientes irlandeses que agora podem receber tratamentos à base de cannabis cobertos pelo National Health Insurance. Além disso, este é um momento crítico na implantação do medicamento a base de cannabis na Irlanda e em todo o mundo.’’

Zomer ainda acrescentou:“Nosso objetivo é melhorar a vida das pessoas que sofrem com epilepsia refratária e outras indicações ao disponibilizar o medicamento para acesso gratuito aos pacientes na Irlanda.’’

Conforme os ensaios clínicos evoluem, os profissionais esperam que seja capaz de aumentar o fornecimento e a disponibilidade do medicamento da maneira mais acessível para quem sofre de epilepsia no mundo inteiro em um futuro próximo.

A epilepsia é prevalente em todo o mundo, com mais de 50 milhões de pessoas sofrendo convulsões.

A epilepsia refratária (resistente ao tratamento) afeta aproximadamente 33% dos adultos e 25% das crianças que já sofrem de epilepsia.

Na Irlanda, há uma prevalência nacional de epilepsia tratada de 9 para 1 mil pessoas para maiores de cinco anos, o que significa uma população estimada de 37 mil pacientes com a condição.

Referências

  • Canex
Avatar

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias