• 8 de maio de 2021

Indústria da cannabis pode crescer no Canadá através dos comestíveis e bebidas

 Indústria da cannabis pode crescer no Canadá através dos comestíveis e bebidas

Que o universo canábico está em constante evolução nós já sabemos. E o mais curioso disso tudo, é que os passos para esses avanços são os mais diversos, como por exemplo, os comestíveis e bebidas que têm ganhado consumidores que não são adeptos ao fumo.

A indústria da cannabis recreativa no Canadá está amadurecendo. Já se passaram mais de  2 anos desde da legalização federal e mais de 1 ano desde que os comestíveis e bebidas se tornaram acessíveis com a chamada legalização 2.0

O resultado disso é um cenário mais claro de como os consumidores usam e percebem a cannabis.

Em particular, existe uma coluna muito clara entre aqueles que atualmente usam cannabis e aqueles que não estão abertos a ela, e os comestíveis e bebidas estão posicionados para preencher essa lacuna.

Não usuários estão dispostos a beber ou comer, mas não inalar

De acordo com a pesquisa da plataforma Mintel sobre a cannabis no Canadá relativa a alimentos e bebidas, são de longe a forma de consumo de cannabis mais comum entre os usuários atuais, já que mais de 3 em cada 5 usaram a planta dessa maneira nos últimos 6 meses e um número semelhante diz que eles podem usar nos próximos 6 meses.

Ainda assim, os não usuários abertos, consumidores que não estão usando cannabis mas estão abertos para isso, tem pouco interesse em fumar a erva. Apenas 3 em cada 10 dizem que podem usar desta maneira nos próximos 6 meses. 

Comestíveis e bebidas com infusão de cannabis, no entanto, são particularmente relevantes para esses não usuários dispostos. 

Os comestíveis são o jeito mais provável que eles experimentarão, embora as bebidas estejam de acordo com as articulações estabelecidas e muito mais disponíveis e comuns.

Além disso, não usuários abertos não têm muito interesse em outras formas de uso como canetas de vapor, vaporizadores ou cachimbos de mão.

Embora os usuários atuais sejam mais propensos a consumir através do fumo em geral, 3 em cada 5 poderiam usar comestíveis nos próximos 6 meses, enquanto 3 em cada 10 podem consumir bebidas. O que significa que esses jeitos de consumo ingeríveis não estão limitados ao novo segmento de usuário. 

Entendendo o apelo de comestíveis e bebidas

Existem vários motivos pelos quais os comestíveis e bebidas com infusão de cannabis se adaptam tão bem aos consumidores que estão somente entrando no mercado de cannabis.

Aproximadamente ¾ dos usuários/não usuários disponíveis concordam que alimentos e bebidas são mais saudáveis do que fumar ou vaporizar.

Quase 9 em cada 10 acreditam que os comestíveis e bebidas são um jeito discreto de usar a planta, o que é importante devido os estigmas generalizados associados a isso. 

Mais de 3 em 5 não usuários abertos pensam que os comestíveis e bebidas são bons para os iniciantes, provavelmente porque a dosagem medida e a facilidade do uso tornam uma incursão segura e familiar na indústria.

Familiaridade ou falta dela, também afasta não usuários disponíveis de opções inaláveis.

Menos do que ¼ dos não usuários abertos fumam cigarro em comparação com quase metade dos usuários atuais de cannabis, sugerindo que o fumo da planta seja um novo comportamento para a maioria dos não usuários abertos e que eles não apenas teriam que tentar se sentir confortáveis com o uso da cannabis, mas também com a inalação de fumaça ou vapor. 

Produtos de cannabis e bebidas são, portanto, um ajuste muito lógico com comportamentos e preferências abertos de não usuários.

Papel importante dos comestíveis e bebidas

A indústria da cannabis tem duas principais vias de crescimento. Atrai mais usuários de cannabis de fornecedores não licenciados, mercado negro, o que requer foco sobre a qualidade, viabilidade e preço, ou amplia o consumo atraindo novos usuários para a indústria.

É aqui que os alimentos e bebidas desempenham um papel vital.

A cannabis é uma indústria incrivelmente única. Alguns consumidores usam a planta há anos e sabem exatamente o que desejam, já outros são totalmente novos no assunto e estão tentando mergulhar nesse universo para descobrir se a cannabis é certa para eles.

A segmentação desses dois grupos será um passo importante para as partes interessadas, uma vez que os usuários atuais e não usuários abertos têm demandas tão diversificadas e responderão de forma diferente aos produtos. 

Referências 

  • Mintel
Avatar

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias