• 24 de junho de 2022

Hemorroida: O que é, Tipos, Causas, Sintomas, Prevenção e Tratamentos

 Hemorroida: O que é, Tipos, Causas, Sintomas, Prevenção e Tratamentos

Mesmo depois de muito tempo, essa condição é considerada um tabu ou abordada de maneira preconceituosa e debochada. Mas afinal, você sabe o que são as hemorroidas e o porquê precisam de tratamento? Vamos descobrir.

 

Basicamente, Hemorroida é um termo utilizado para se referir a veias inchadas e inflamadas nas regiões do reto e ânus, que causam dor e sangramento.

Ela pode ser externa, quando é facilmente identificada ao redor do ânus, ou interna, quando fica escondida dentro do reto e nem sempre há sintomas.

Apesar de a palavra hemorroida ser muito utilizada, a doença hemorroidária é o termo correto para se referir à doença. 

Hemorroida é o nome dado ao conjunto de veias e artérias que se localizam no canal anal.

Todos nós temos veias hemorroidárias e artérias hemorroidárias. Porém, mesmo os médicos não costumam fazer esse tipo de distinção e acabam tratando os termos “doença hemorroidária” e “hemorroida” como sinônimos.

Tipos

Como já foi dito, é possível dividir essa doença em internas ou externas. No entanto, existe uma classificação mais completa que diz respeito aos graus de hemorroida:

1° Grau: Sem prolapso, ou seja, não se exteriorizam;

2° Grau: Há exteriorização, mas ocorre o retorno espontâneo da hemorroida;

3° Grau: Há exteriorização e é necessário o auxílio manual para retorno ao normal;

4° Grau: Há exteriorização e a hemorroida não retorna ao normal nem com auxílio manual.

Causas

As hemorroidas resultam do aumento da pressão nas veias hemorroidárias ou fraqueza nos tecidos da parede do ânus e são muito comuns, principalmente durante a gestação e após o parto. 

A pressão faz com que as veias inchem, tornando-as doloridas, especialmente quando você está sentado.

Não existe um motivo exato para o aparecimento das hemorroidas. Elas podem surgir por conta de diversos fatores, como vida sedentária, estresse, má alimentação, tabagismo, obesidade, gravidez, segurar fezes em vez de evacuar, diarreia crônica, histórico familiar e até permanecer muito tempo sentado no vaso sanitário sem evacuar. Além disso, o sexo anal pode ser um agente facilitador de risco.

Principais Sintomas

Os sintomas de hemorroida variam de acordo com a sua localização. 

As hemorroidas internas tendem a ser menos sintomáticas e o único sinal indicativo da sua existência costuma ser a presença de sangue ao redor das fezes ao evacuar. 

Mas pode acontecer de as veias inchadas serem projetadas para fora do ânus. Nesse caso, elas podem ser bastante dolorosas e apresentar outros indícios.

Geralmente, os sintomas mais comuns de hemorroida são:

  • Prurido anal;
  • Dor anal, principalmente enquanto se está sentado;
  • Sangue vermelho vivo no papel higiênico, nas fezes ou no vaso sanitário;
  • Dor ao evacuar;
  • Um ou mais nódulos endurecidos sensíveis próximos ao ânus;
  • Inchaço ao redor do ânus.

Prevenção

Assim como muitas outras doenças precisam de prevenção, a hemorragia também. Para que diminuia a possibilidade do surgimento da doença. 

Algumas medidas que podem prevenir a hemorroida são:

  • Ter uma alimentação saudável e rica em fibras (frutas, verduras, grãos, nozes e castanhas);
  • Beber bastante água para diminuir a constipação;
  • Evitar segurar a vontade de evacuar;
  • Fazer exercícios regularmente para evitar o sedentarismo e a obesidade;
  • Não fumar.

Tratamentos

A escolha de um tratamento para a doença hemorroidária deve ser baseada na natureza e na severidade dos sintomas, os quais estão relacionados ao grau e classificação hemorroidária.

Sintomas leves podem ser tratados clinicamente por meio de uma suplementação de fibras na dieta, aumentar ingestão de água, evitar papel higiênico e fazer higiene com ducha ou banho, não fazer esforço ao evacuar, não permanecer muito tempo no vaso sanitário, e aplicação de tratamento tópico com cremes e pomadas no local. Medidas que auxiliarão nos sintomas de sangramento, desconforto local e coceira associada.

Lembrando que é extremamente importante excluir uma condição mais grave como causa do sangramento, particularmente em pacientes com anemia, perda de peso, mudança do hábito intestinal repentina, além de pessoas antecedentes familiares de câncer ou pólipos intestinais.

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias