• 27 de junho de 2022

Dirigir chapado? Há riscos, mas não é tão perigoso quanto sob o efeito do álcool

 Dirigir chapado? Há riscos, mas não é tão perigoso quanto sob o efeito do álcool

Stock photo of a man smoking marijuana in a vehicle driving a car under the influence of cannabis.

Pesquisa norte-americana detalha os índices de acidentes de carro, tanto pela maconha quanto por bebidas alcoólicas. Apesar de ser menos perigoso, dirigir chapado tem os seus riscos. 

 

Dirigir é um ato que requer atenção. O tamanho dos veículos, culminado com a velocidade que eles conseguem atingir, torna as pessoas vulneráveis no trânsito. 

Segundo um levantamento do Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas no Trânsito (RENAEST), ocorreram cerca de 632.764 incidentes de veículos em 2021 no Brasil. 

Para tentar entender algumas das causas dos acidentes, a Unidade Clínica de Pesquisa e Educação em Dependência do Boston Medical Center, dos Estados Unidos, realizou um estudo sobre a ação da cannabis e do álcool no corpo dos motoristas. 

Os resultados apontaram uma maior influência das bebidas alcoólicas nos acidentes de trânsito. Porém, os índices da erva também são preocupantes. 

Perigos da maconha no trânsito

O principal motivo dos acidentes automobilísticos envolvendo a cannabis, é a reação do corpo humano perante aos efeitos alucinógenos da erva, gerados pela presença do Tetrahidrocanabinol (THC). 

A famosa “brisa”, causada por esse canabinoide, pode levar a alucinações e paranoias, o que não é seguro para quem vai conduzir um automóvel. 

Além disso, o tempo de ação da planta no organismo, também pode ocasionar incidentes. Isso porque, a maconha não tem um tempo certo para fazer efeito no corpo, varia de acordo com o usuário. 

Essa situação é ainda mais complexa com os comestíveis, já que a absorção deles leva ainda mais tempo. Uma pessoa que come um brownie de maconha, por exemplo, pode achar que a erva “não bateu” no seu corpo e então, sair para dirigir. Mas em muitos casos, o composto ainda fará efeito. 

Índices altos 

Nos últimos anos, os números de acidentes no trânsito aumentaram bastante, e consequentemente, os incidentes por cannabis e álcool também. 

Uma pesquisa de dados de segurança pública dos Estados Unidos, analisou que de 2000 a 2018, a taxa de acidentes automobilísticos por conta da maconha aumentou de 2% para 9%, somente neste período. O índice de incidentes por álcool, no entanto, se manteve.  

Apesar do crescimento, segundo o estudo de um banco francês, realizado em 2017, as bebidas alcoólicas ainda são mais perigosas para os motoristas. Os seus usuários, são 17,6 vezes mais propensos a causar um acidente, enquanto os da erva 1,65. 

Drogômetro 

 

Provavelmente, você nunca ouviu falar sobre esse termo. Mas, sobre o bafômetro eu tenho certeza que sim. 

O drogômetro funciona da mesma maneira, só que para as drogas. Ele está sendo implementado nas rodoviárias brasileiras, com o intuito de frear a utilização dessas substâncias por parte dos motoristas. 

O aparelho é capaz de detectar esses compostos através da saliva, captando drogas mais pesadas, como cocaína e MDMA, e as mais leves, como a maconha. 

Então tome cuidado, pois sim, há chances de você ser parado no trânsito pelo consumo da cannabis.

Gustavo Lentini

Jornalista e produtor de conteúdo da Cannalize. Apaixonado por futebol e pela comunicação.

Mais Notícias