• 24 de junho de 2022

Como o CBD age no cérebro e no corpo?

 Como o CBD age no cérebro e no corpo?

O Corpo de todos os seres humanos possuem um conjunto de receptores exclusivamente preparados para interagir com substâncias provenientes de Cannabis, essas substâncias são chamadas de canabinoides, como o CBD. Esses receptores são abundantes no corpo humano e formam o Sistema Endocanabinóides (SEC), que possui extrema importância em assegurar o bom funcionamento do nosso corpo.

No corpo humano, o CBD influencia as atividades receptoras e incentiva a produção natural de canabinóides em nossos corpos.

Curiosamente o CBD também afeta atividades além do Sistema Endocanabinóide (SEC), podendo também interagir com receptores como opioides, dopamina e serotonina. A habilidade do CBD em influenciar nos tantos receptores do corpo humano abre portas para novas soluções na medicina e psiquiatria.

O CBD tem efeitos em muitos sistemas receptores diferentes.

Apesar de o CBD ser um canabinóide, o CBD não interage diretamente com os dois receptores clássicos que é o CB1 e o CB2. Diferente disso ele influencia indiretamente a sinalização através desses receptores (CB1 e CB2) e pode aumentar os níveis dos canabinóides produzidos pelo corpo. Isso explica brevemente o porquê, ao contrário do THC o CBD não é intoxicante.

Ainda mais intrigante: O CBD também pode interagir com os receptores de dopamina, que desempenham um papel crucial na regulação de muitos aspectos do comportamento e da cognição, incluindo motivação e comportamento de busca de recompensas, interage também com os receptores opioides, conhecidos por seu papel na regulação da dor.

CBD pode fazer você se sentir chapado?

Diferente do THC, o CBD não é psicoativo, ambos são canabinóides, porém, agem de formas diferentes em nosso corpo.

O THC (tetrahidrocanabinol) aciona os receptores CB1, que são um dos diversos receptores de endocanabinoides do corpo humano. Quando esses receptores são acionados, os efeitos são de euforia, ansiedade e até mesmo paranoia. O CBD não aciona estes receptores CB1, ou seja, não gera estes efeitos.

Na verdade, o CBD pode reduzir o poder do THC e simular os receptores CB1, ajudando assim a bloquear alguns dos efeitos do THC mencionados acima. Para aqueles propensos a ansiedade e esquecimento ao consumir maconha, o CBD é uma ótima alternativa para se manter no controle.

O CBD contrapõem os efeitos de THC, e interage diretamente com ele, alguns pacientes afirmam que o uso isolado de THC os efeitos psicoativos são muito fortes, podendo causar paranoia, tonturas e outros efeitos desagradáveis, ou seja, o CBD ao ser usado juntamente com o THC pode amenizar alguns efeitos psicoativos. Geralmente o CBD é usado para o tratamento de doenças como:

  • Dores Crônicas
  • Glaucoma
  • Epilepsia
  • Síndrome de Dravet
  • Câncer e Quimioterapia
  • Alzheimer
  • Doenças Inflamatórias e intestinais
  • Artrite
  • Obesidade
  • Parkinson
  • Transtorno de Estresse pós-traumático
  • AVC

Além das doenças citadas acima, existem muitas outras em que o CBD pode ser um grande aliado no tratamento.

Por que o CBD tem tantos benefícios terapêuticos em potencial?

O CBD é famoso pela eficácia que possui em tratamentos como epilepsia infantil. Atualmente ensaios clínicos têm sido feitos em pessoas com epilepsia.

Existem também evidências de estudos com animais, levando a conclusões de que o CBD pode ter propriedades neuroprotetoras, anti-inflamatórias, analgésicas e um grande valor terapêutico no tratamento de distúrbios motivacionais como depressão, ansiedade e dependência.

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias