• 24 de junho de 2022

Como a cannabis pode salvar as abelhas?

 Como a cannabis pode salvar as abelhas?

As abelhas são 17 vezes mais atraídas pela cannabis que as demais plantas e flores

Além do fato delas gostarem muito, a cannabis tem muito pólen e poder ser plantada em solos de baixa qualidade.

Você sabia que as abelhas são atraídas pela cannabis? E se você achava que a planta não produz pólen, sim, ela produz, e de diferentes tipos. Eles são conhecidos por sua pureza e alta concentração de canabidiol.

Não é tão fácil extrair o pólen da cannabis, a maneira que é feita impacta diretamente na qualidade do produto. 

Ao contrário da maconha, o pólen não é extraído com o secamento das plantas, mas sim através da extração do tricoma, que depois é aquecido e comprimido até virar uma espécie de pedra. O uso varia desde a fabricação de medicamentos até a junção do pólen ao cigarro de maconha.

Mas vamos falar das abelhas. Não, elas não ficam “chapadas”, pois não possuem receptores canabinóides. O pólen da cannabis é uma fonte extra que as mantêm saudáveis. 

O fato curioso é que a planta não tem o perfil atraente que as cativa, não tem cores vibrantes e nem o sabor é doce, pois não produz néctar. Mas parece que isso não é problema, sobretudo para os machos. 

As abelhas são 17 vezes mais atraídas pela cannabis que as demais plantas

Relevância 

O estudo sobre a relação da planta e as abelhas foi realizado pela Universidade Cornell em Nova York e publicado na revista Environmental Entomology. Foi desenvolvido para saber como salvar esses insetos, tão importantes para o ecossistema.

Ele foi iniciado de uma curiosidade científica, pois os cientistas perceberam que haviam grandes concentrações de abelhas ao redor de colheitas de cannabis. O que sugere até que plantações de cannabis sejam feitas apenas para manter as abelhas.

Você já deve ter ouvido falar que as abelhas estão desaparecendo, e que a falta delas afeta a polinização de diversas espécies e vegetais. Isso envolve uma série de fatores, como mudanças climáticas, pesticidas e destruição dos seus habitats

Este é um problema grande, pois as abelhas não são como qualquer inseto, são insubstituíveis, tanto que precisamos delas para viver. Um exemplo é que 2% das abelhas selvagens são responsáveis por 80% da polinização mundial, isso quer dizer que sem elas, não existiria abacates, amêndoas, laranjas, couves, maçãs, tomates e uma variedade de alimentos.

A introdução da cannabis 

O amor das abelhas pela cannabis já havia sido estudada pela Universidade do Colorado, que diz que essa atração se dá pela grande quantidade de pólen, o que gerou a rápida expansão de cânhamo nos Estados Unidos.

A nova pesquisa revelou que o cânhamo atrai 17 vezes mais que flores comuns.  Uma das características para este fator, é a quantidade quase zero de pesticidas e água. Outra curiosidade do estudo, é que as abelhas não preferem qualquer planta de cannabis, mas assim àquelas mais altas da plantação. 

O produto ainda está sendo conhecido pelo mundo

Mel de cânhamo

Nícolas Treiner precisou usar a cannabis medicinal como tratamento para a sua hiperatividade quando era mais novo. Depois de ver os benefícios da planta ele resolveu juntá-las à sua produção de mel para ver no que daria. No fim, Trainer se tornou o primeiro apicultor a treinar abelhas a produzirem mel através da resina de cannabis.

O “canhahoney” é a combinação da maconha e do mel no mesmo produto de forma totalmente natural e orgânica, trazendo as propriedades dos dois ingredientes juntos. Ainda alta estudos para comprovar os benefícios do produto, mas de qualquer forma, não faz mal algum para as abelhas. 

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias