• 24 de junho de 2022

Clamídia: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

 Clamídia: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Você já ouviu falar da clamídia ou até mesmo teve essa doença sexualmente transmissível? No Brasil há cerca de 127,2 milhões de casos de clamídia.

A clamídia é uma doença infecto-contagiosa que pode atingir homens e mulheres sexualmente ativos, no caso das mulheres pode se manifestar de forma assintomática.

O agente transmissor da doença é a bactéria Chlamydia trachomatis. 

Essa bactéria atinge a uretra e outros órgãos genitais conferindo ardor, dor ao urinar, aumento do número de micções e, em alguns casos, corrimento translúcido, principalmente no período da manhã. 

Em casos mais raros, pode-se apresentar grande quantidade de pus.

Vale lembrar que é uma DST (doença sexualmente transmissível), transmitida em relações sem o uso de preservativos com parceiro portador. 

O período de incubação é de aproximadamente quinze dias entre a relação sexual e o aparecimento dos sintomas. 

Durante este período, o portador já pode ser capaz de transmitir a doença.

Causas

Como foi dito, a principal forma de contrair uma infecção com clamídia é através do contato íntimo sem camisinha com uma pessoa infectada, seja oral, vaginal ou anal. 

Dessa forma, pessoas que têm vários parceiros sexuais, apresentam maior risco de ter a doença.

Além disso, a clamídia também pode passar de mãe para filho durante o parto, quando a grávida tem a infecção e não fez o tratamento adequado.

Principais Sintomas

Na maioria das vezes, pessoas com clamídia não apresentam sintomas da condição, o que dificulta com que a doença seja percebida rapidamente. 

Para diagnosticá-la, é preciso realizar check-ups ginecológicos e urológicos pelo menos uma vez por ano.

Depois do contágio com uma pessoa infectada pela doença, podem levar cerca de 15 dias até que os sintomas iniciais comecem a ser notados.

Os principais sintomas são:

  • Dor forte na região genital e barriga;
  • Ardência ao urinar;
  • Vontade frequente de ir ao banheiro;
  • Dor durante as relações sexuais;
  • Dor nos testículos (nos homens);
  • Aparecimento de pus e de secreção por meio da uretra (nos homens);
  • Corrimento amarelado ou claro (em mulheres); 
  • Sangramentos fora do período menstrual ou que acontecem durante as Relações sexuais (em mulheres).

Possíveis riscos na gravidez

A infecção por clamídia durante a gravidez pode causar alguns problemas, como: 

  • Levar ao parto prematuro;
  • Baixo peso ao nascer;
  • Morte do feto;
  • Endometrite. 

Como esta doença pode passar para o bebê durante o parto normal é importante realizar exames que possam diagnosticar essa doença durante o pré-natal e seguir o tratamento indicado pelo obstetra.

O bebê afetado durante o parto pode ter complicações como conjuntivite ou pneumonia por clamídia e estas doenças também podem ser tratadas com antibióticos indicados pelo pediatra.

 

Possíveis tratamentos

Mas afinal existe cura ou uma forma de tratamento?

A resposta é sim. O tratamento para curar a clamídia é feito com o uso de antibióticos receitados pelo médico, como a Azitromicina em dose única ou Doxiciclina em um período de 7 dias, ou conforme indicado pelo médico.

É muito importante que o tratamento seja feito tanto pela pessoa já portadora da bactéria quanto pelo parceiro sexual, ainda que o contato sexual tenha sido feito com preservativo. 

Além disso, é recomendado que não se tenha relação sexual durante o tratamento para evitar o contágio da infecção. 

Com o tratamento adequado é possível barrar completamente a bactéria, mas se surgirem outras complicações como a doença inflamatória pélvica ou infertilidade, elas podem ser permanentes.

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias