• 20 de maio de 2022

Cannabis pode reduzir a inflamação mortal do pulmão causada pelo COVID-19 

 Cannabis pode reduzir a inflamação mortal do pulmão causada pelo COVID-19 

Como os casos de coronavírus continuam a surgir, os pesquisadores começaram a procurar por soluções em lugares improváveis, como a planta cannabis.

Os compostos ativos na cannabis têm propriedades que ajudam no tratamento de infecções causadas pelo novo coronavírus, e recentemente os cientistas começaram a buscar e analisar o seu poder para reduzir o avanço da doença. Até discutiram se poderia ser usado como um medicamento antiviral.

Este mês, os pesquisadores da Universidade de Nebraska e o Instituto de Pesquisa Biomédico do Texas nos Estados Unidos, estão recomendando mais pesquisas sobre como o canabidiol (CBD) poderia ajudar no tratamento de inflamação nos pulmões, causada pelo novo coronavírus. 

Os autores detalharam as evidências de como o poder anti-inflamatório da cannabis pode ajudar em um artigo revisado por especialistas.

No artigo, os pesquisadores explicam que  “os relatórios recentes sugerem que a infecção aguda está associada à tempestade de citocinas, que contribuem para sintomas como febre, tosse, dores musculares.“

Esses casos extremos podem levar a uma forte pneumonia que afeta os pulmões, tornando difícil respirar ou até impossível. Por isso, uma das estratégias importantes que os cientistas estão estudando na luta contra o COVID-19 é reduzir a inflamação.

Os pesquisadores estão analisando em particular, medicamentos que reduzem a atividade da citocina IL-6. Em um recente estudo, um desses remédios,o  Tocilizumab, foi capaz de limpar os pulmões dos pacientes, e resultou em uma recuperação de 90% dos pacientes tratados. Infelizmente, isso também produziu efeitos colaterais negativos como inflamação do pâncreas e hipertrigliceridemia (um fator de risco por doença arterial coronariana).

Isso tem levado os pesquisadores a continuar a procurar por estratégias anti-inflamatórias, de preferência aquelas que não tenham efeitos colaterais tão severos com esses pacientes já muito doentes.

É aí que surge a cannabis. Os autores explicam que vários canabinóides na planta cannabis têm propriedades anti-inflamatórias. Em particular, eles apostam no CBD como o mais apropriado para o tratamento de inflamação relacionada ao COVID -19.

 O canabidiol já tinha mostrado grandes propriedades anti-inflamatórias em estudos anteriores, além de não causar efeitos alucinógenos associados ao THC, e já foi aprovado pela FDA (Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos) como seguro para crianças com epilepsia intratável.

Se for bem sucedido na redução da inflamação em pacientes com  coronavírus, pode ser uma alternativa segura para outras opções inflamatórias.

Por que os pesquisadores acreditam que o CBD pode ajudar com o COVID-19 ?

Por um lado, os autores explicam que pesquisas anteriores mostraram que o CBD pode reduzir uma série de citocinas pró-inflamatórias, incluindo o IL-6 (uma interleucina que atua como uma citocina pró-inflamatória).

O CBD mostrou também que pode reduzir a interleucina (IL) -2 , a interferon gama, proteína induzível-10, quimioatraente monócito protein-1, proteína inflamatória de macrófago-1α e  necrose tumoral,  todos eles associados à patologia de casos graves do coronavírus. 

Além de reduzir essas citocinas pró-inflamatórias, o canabidiol também demonstrou aumentar a produção de interferons, um tipo de proteína de sinalização que ativa células imunes e impede a evolução de vírus.

Os Pesquisadores anteriores também apoiam a ideia de que o CBD pode diminuir a inflamação nos pulmões. Em um estudo com animais portadores de asma, o canabidiol conseguir diminuir a inflamação das vias aéreas.

No mesmo estudo, o CBD também reduziu a fibrose pulmonar, uma condição em que os tecido pulmonar fica danificado e com cicatrizes tornando a respiração mais difícil,. Isso é  importante, porque o COVID-19 também pode deixar os pacientes com fibrose pulmonar grave. 

Os autores também notaram que o canabidiol não é o único que mostra promessas como um anti-inflamatório. O THC tem mostrado também ser poderoso em resultados anti-inflamatórios, mais é menos tolerado que o CBD, com sintomas comuns como desorientação, ansiedade, e aumento da frequência cardíaca.

 As pesquisas sobre o canabidiol, por outro lado, mostram que é seguro e bem tolerado com altas dosagens de até 1500 mg por dia, por um período de até duas semanas.

Os autores do artigo apontam que o CBD pode ter um benefício para os pacientes com doenças mentais. “As muitas incertezas associadas à pandemia do COVID-19, como status da economia, emprego e perda de conexão, podem alimentar a depressão, o medo e a ansiedade”, explica um dos autores, levantado a hipótese de que o aumento da inflamação no coronavírus também pode desencadear níveis aumentados de ansiedade. Mas o CBD tem mostrado sérias promessas para o gerenciamento da ansiedade e pode ajudar a diminuir esses níveis desafiadores de estresse. 

Até o momento, nenhum estudo revisado por especialistas mostra que a cannabis ou seus compostos possam ajudar totalmente no tratamento de COVID-19, mas os autores deste artigo dizem que as evidências sugerem que isso pode ajudar  e vale a pena uma investigação mais aprofundada.

Eles recomendam que os cientistas comecem os estudos para investigar se o canabidiol pode ser usado para reduzir a inflamação e a ansiedade nos casos de coronavírus, como um complemento aos medicamentos antivirais. 

Embora isso não dite que a cannabis seja considerada uma cura ou tratamento por si só, ela sugere que pode ter poder para ajudar a reduzir a inflamação e reduzir a ansiedade nas pessoas que sofrem da doença. Mas até que mais estudos sejam feitos, tudo isso é apenas uma teoria bem fundamentada.

Referências

  • Forbes

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias