• 18 de abril de 2021

Cannabis pode inibir a disseminação das células da COVID-19, segundo estudo

 Cannabis pode inibir a disseminação das células da COVID-19, segundo estudo

Imagem: iStock-Stefan Tomic

Embora precise de mais investigações para a comprovação, a pesquisa mostra que a cannabis pode ser uma alternativa ao tratamento do coronavírus até em estágios avançados.

Desde o começo da pandemia a cannabis entrou na lista de possíveis tratamentos contra a COVID e tem sido objeto de estudos.

Já falamos aqui sobre algumas pesquisas feitas com a planta para o tratamento do coronavírus. Como por exemplo, um estudo feito no Biomedical Research Institute, nos Estados Unidos.

Em pesquisas preliminares, foi descoberto que a cannabis pode ser de grande ajuda no tratamento das “tempestades de citocinas”, a reação imunológica grave que pode danificar os pulmões dos infectados.

Imagem: iStock-Stefan Tomic

Ou então um estudo feito em Israel, que investigou até os terpenos, pequenas substâncias responsáveis pelo cheiro e o sabor das plantas.

Os resultados mostraram que terpenos, combinados com canabidiol (CBD), podem ser duas vezes mais eficazes do que o uso de CBD isoladamente para tratar as tempestades de citocinas.

Novo estudo

Agora, a novidade é que o canabidiol, o mais conhecido canabinoide da planta, pode ser capaz de interromper a proliferação do vírus nas células pulmonares, o que reverte vários efeitos da doença no organismo.

O CBD agiu como uma espécie de protetor. Ele inibiu a expressão de alguns genes dentro das células virais e também alterou a expressão em células pulmonares infectadas.

A pesquisa foi feita na Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, e publicada no científico BioRxiv e aguarda revisão para a comprovação.

Caso confirmado, isso pode bloquear a infecção ainda nos seus estágios iniciais. No estudo, os cientistas também argumentam que a utilização do CBD pode estar associada a menor infecção entre humanos.

Parece que o canabinoide bloqueia uma proteína chamada Spike, que é a porta de entrada para o vírus no nosso organismo.

No texto, eles ainda argumentam que “Um grupo de pacientes, estavam tomando óleo de CBD previamente, teve a incidência de infecção pela SARS-Cov-2 consideravelmente reduzida, em comparação à população geral”.

Como esperado, o estudo também mostrou a redução das tempestades de citocinas.

Precisa de mais estudos

Mesmo após a revisão, é preciso entender que não há nada confirmado. Os estudos feitos com a cannabis para o tratamento do coronavírus ainda são insuficientes.

Também é importante destacar que não há comprovação científica de tratamentos preventivos contra a COVID-19.

Na própria pesquisa feita pela universidade, os cientistas complementam que “estudos futuros capazes de explorar os efeitos do CBD nos pacientes, junto de testes clínicos, serão necessários para compreender totalmente o uso da cannabis para bloquear a infecção”.

 

Avatar

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias