• 28 de junho de 2022

Cannabis pode ajudar no combate de superbactérias

 Cannabis pode ajudar no combate de superbactérias

A ação conjunta do canabidiol com o antibióticos parece desestabilizar as superbactérias

Seguir uma prescrição médica é fundamental. Por causa do uso indiscriminado de antibióticos, surgiu uma dor de cabeça que hoje chamamos de superbactérias.

Elas surgem quando um grupo pequeno de bactérias, exposto a um medicamento ou antibiótico, resiste e ainda se reproduz. Esta nova geração de bactérias é ainda mais forte que a primeira e as soluções são reforçar a medicação ou tentar o tratamento com outros remédios.

A ação conjunta do canabidiol com o antibióticos parece desestabilizar as superbactérias

Todas as que resistem são chamadas de multirresistente, essa persistência pode ser causada por uma mutação, que dá condições à bactéria de sobreviver ao medicamento ou também pela troca de material genético entre microrganismos comuns e microrganismos resistentes.

O futuro dos antibióticos não é bom, e os médicos temem quando eles se tornarem ineficazes para infecções bacterianas. O problema tem preocupado o mundo inteiro, pois se um remédio já não é suficiente para tratar uma bactéria, o problema pode se agravar e causar problemas ainda mais sérios.

A cannabis como alternativa

Ao invés de criar um novo medicamento, cientistas buscam soluções que possam potencializar os antibióticos, assim, não precisam criar um do zero. Seguindo esta linha, pesquisadores de uma universidade no sul da Dinamarca testaram o canabidiol, principal substância da cannabis, junto com vários antibióticos para combater a Staphylococcus, uma superbactéria hospitalar.

A junção do medicamento aos antibióticos, desestabilizaram a membrana da bactéria, onde ela não podia mais se dividir normalmente.  Além da membrana, alguns genes importantes para o contágio, também foram afetados.

Em outro estudo realizado no Canadá os cientistas foram além. Eles examinaram cinco compostos da cannabis ao invés de um. Foi aí que perceberam que o canabigerol (CBG), era potente contra a Staphylococcus. A combinação conseguiu matar biofilmes e células resistentes da superbactéria com sucesso.

O CBG não é psicoativo, por isso, decidiram testá-lo em infecções animais e não apenas na bactéria isolada. O estudo mostrou que a ação conjunta curou ratos de infecções causadas pela superbactéria hospitalar, tanto quanto à vancomicina, um dos medicamentos mais fortes contra a bactéria.

O potencial da cannabis para antibióticos está sendo testado e ainda é cedo para tirar conclusões.  Apesar das descobertas, melhorar os antibióticos não é a única solução. O problema do consumo inadequado é o que resultou nas superbactérias e reeducar a forma de utilizar medicações é o melhor caminho.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias