• 24 de junho de 2022

Cannabis para o alívio das cólicas

 Cannabis para o alívio das cólicas

Embora os estudos para cólicas ainda sejam insuficientes, há fortes evidências do uso da cannabis para os sintomas, como dores, náuseas e TPM.

De acordo com um levantamento divulgado no começo de 2022, mais de 70% das mulheres australianas utilizam a cannabis para o tratamento da endometriose.

Isso equivale a uma em cada nove mulheres no país. Elas ainda consideram a cannabis como primeira opção.

Mas será que a cannabis também pode tratar cólicas menstruais? 

Foto: Freepik

A verdade é que a Cannabis já tem sido usada há milhares de anos para tratamento de condições relacionadas ao sistema periférico feminino. 

Há registros do uso da cannabis para o tratamento de cólicas há 3.000 anos A.C na Mesopotâmia. De acordo com o arqueólogo britânico Reginald Campbell Thompson, a cannabis foi citada pelo menos 30 vezes para o tratamento de dores menstruais.

De acordo com um estudo realizado pelo Dr. Ethan Russo em 2002 há vários registros milenares de que a cannabis é usada para tratar cólicas.

Parece que até a Rainha Vitória tomava doses mensais de cannabis para diminuir os desconfortos das dores menstruais. 

Por que as mulheres têm cólicas? 

Antes de falarmos da cannabis, o que você realmente sabe sobre este desconforto mensal?

A cólica menstrual é uma das principais queixas das mulheres nos consultórios ginecológicos. Ela afeta cerca de 60% do público feminino em idade fértil. 

Também conhecida como dismenorreia, a cólica é um dos sintomas naturais no período do ciclo menstrual desde que a mulher começa a ovular.

Provocada pela liberação de prostaglandina, ela contrai o útero para liberar a camada interna em forma de sangramento. 

Tipos de cólicas

Elas são como contrações uterinas, normalmente no período menstrual horas antes ou depois de começar o fluxo sanguíneo. A cólica pode ser identificada em exames clínicos ou até na conversa com o médico. 

Há dois tipos de cólicas, primária e secundária:

Cólica primária – Trata-se da cólica natural, provocada pela liberação da prostaglandina, que contrai a camada interna do útero. 

Cólica secundária – Esse tipo de cólica não é natural e pode ser causada por uma série de condições médicas, como inflamações pélvicas, endometriose e até fibromiomas. 

A cannabis para o alívio da cólica 

Canabinoides como o Canabidiol (CBD) aliviam a dor pélvica, o que consequentemente, diminui as cólicas. Isso porque a cannabis possui propriedades que regulam a inflamação no  tecido uterino, o que diminui a cólica. 

Hoje existem empresas focadas em tratamentos íntimos com cannabis, com cremes, supositórios e absorventes internos com Canabidiol ou até com Tetrahidrocanabinol (THC ), principal componente que gera os efeitos alucinógenos da maconha. 

Eles prometem alívio em 15 a 20 minutos direto no local da dor sem causar efeitos adversos. 

Há também o relato de inúmeras mulheres que alegam que o fumo ajuda e muito. Muitas delas dizem até que a dor passa na mesma hora que começam a tragar. 

Como a cannabis funciona?

Foto: Freepik

É importante ressaltar que a cannabis atua através do que chamamos de Sistema Endocanabinoide. Ele está presente em todo o corpo humano e funciona como uma espécie de regulador das funções do organismo.

O sistema influencia em questões como humor, fome, sono, sistema imunológico e nervoso e inclusive, a região periférica.

Através de substâncias chamadas canabinoides ele pode conectar-se com receptores e estabilizar o que estiver errado. 

A cannabis pode ser uma solução porque também produz canabinoides, que podem servir como uma espécie de reforço aos nossos. Por isso o corpo aceita o Canabidiol tão bem, por exemplo. 

Ação da cannabis na região periférica

Produtos feitos com a cannabis ativam receptores canabinoides da região pélvica. Depois do cérebro, o local é onde se encontra o maior número de sinalizações.

Além da presença de enzimas, que desempenham um importante papel para o seu funcionamento. 

Por isso, o sistema endocanabinoide é fundamental na regulação da dor, os receptores estão em todas as partes da chamada “via da dor” do corpo. 

Ela atua diretamente no sistema imunológico e nas terminações nervosas do útero, do colo do útero, ovários e tecidos musculares, relaxando os músculos para aliviar a dor.

Efeitos colaterais

Como nada é perfeito, um tratamento à base de cannabis também pode causar alguns efeitos colaterais, que dependendo da forma administrada podem ser:

Perda de memória;

  • Ansiedade;
  • Euforia;
  • Paranoia;
  • Fadiga;
  • Boca Seca.

Contudo, são efeitos que podem não nem aparecer. Por isso, em geral, é uma opção segura, em comparação com tratamentos tradicionais para dores menstruais.  

Estudos

Infelizmente não há muitos estudos especificamente para a cólica primária. Contudo, a Foria, marca líder no setor de produtos íntimos feitos com cannabis, fez um estudo para rastrear resultados auto-relatados de 400 mulheres.

Elas utilizaram um supositório com canabidiol ao longo de vários meses e  os resultados foram positivos. 

Outro estudo feito em 2018 pela University of British Columbia, de Vancouver, no Canadá, perguntou para 192 mulheres se elas haviam usado maconha para aliviar as cólicas menstruais. 

170 delas responderam que utilizaram e 152 ainda acrescentaram que o uso foi eficaz para as dores menstruais, principalmente na forma fumada ou em comestíveis. 

Ficou curioso para saber mais? Baixe o nosso ebook

Nele você também vai encontrar informações sobre como comprar produtos para aliviar as cólicas.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias