• 28 de fevereiro de 2021

Cannabis Medicinal para  tratamentos odontológicos

 Cannabis Medicinal para  tratamentos odontológicos

A planta já se mostrou útil para uma série de condições médicas. Quando não é o remédio principal, serve de complemento. Por isso, já se perguntou se é possível usá-la em tratamentos dentários?

As capacidades anti-inflamatórias da cannabis estão cada vez mais populares. Tanto é que ela tem ajudado em uma variedade de condições, como dores crônicas e esclerose múltipla, por exemplo.

Mas será que ela pode ser usada na saúde oral também?

O dentista Nivaldo Vanni Filho, do Medicina.In, uma clínica digital de médicos especializados em cannabis, nos ajudou a entender um pouco melhor em quais casos e como a cannabis medicinal pode ser uma solução interessante.

Ele é cirurgião dentista Mestre em DTM e dor orofacial, especialista em ortodontia e ortopedia facial.

Benefícios da cannabis

Segundo o dentista, a planta tem potentes efeitos analgésicos anti-inflamatórios, ansiolíticos e relaxantes, que podem ser úteis nos consultórios dentistas.

Remédio que já é até receitado em algumas clínicas dentárias.

“A Cannabis medicinal pode ser muito útil para combater processos inflamatórios nos tecidos duros e moles intraorais ou contra as dores neuropáticas pós-implantes ou de restaurações, por exemplo.” Explicou.

O dentista ainda acrescentou que a cannabis pode ser de grande ajuda em problemas nas articulações das mandíbulas, como artralgia (dores nas articulações temporomandibulares), bruxismo e síndrome miofascial.

Nestes casos, ela pode servir de analgésico para dor e ansiolítico para indução do sono.

O doutor Nivaldo Vanni Filho acrescenta que o tratamento alternativo pode ser associado a medicamentos alopáticos convencionais, tanto para potencializar os efeitos quanto para diminuir a quantidade de remédios.

Advertências

Ele também ressalta que ao contrário do que muitos pensam, não é só o canabidiol (CBD) que pode ajudar, mas também o tetraidrocanabinol (THC) ou até mesmo a interação dos dois.

Contudo, isso vai depender de cada um. Cada organismo é único, então a cannabis pode funcionar com concentrações e intensidades diferentes.

Por último, é importante ressaltar que apesar da segurança, a cannabis não pode ser automedicada.

Como em qualquer remédio ela também pode ter efeitos colaterais que não podem ser ignorados.

“Entre os possíveis efeitos colaterais mais conhecidos, temos o aumento do débito cardíaco, taquicardia e elevação da pressão arterial. É importante levar isso em conta ao prescrever Cannabis para pacientes com esse tipo de histórico.” Acrescenta.

Há contra indicações para grávidas ou mulheres que amamentam, por exemplo.

 

Avatar

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias