• 28 de junho de 2022

Cannabis deixa as pessoas com preguiça?

 Cannabis deixa as pessoas com preguiça?

Toda vez que se fala de cannabis, a preguiça e a sonolência são sempre associadas.

Quando se fala sobre cannabis medicinal em adolescentes, por exemplo, os pais sempre ficam com receio de seus filhos ficarem com aquela “moleza”.

Uma pesquisa recente feita por cientistas do Tennessee, nos Estados Unidos, mostrou que isso, na verdade, é um mito.

Nos últimos anos, surgiu a teoria de que o uso da cannabis está diretamente ligado à síndrome amotivacional.

Trata-se de um distúrbio psiquiátrico crônico caracterizado por estados emocionais de diminuição de desejos, distanciamento e danos relacionados à memória.

Pensava-se que a cannabis afetava a produção de dopamina no sistema mesolímbico, que controla características cognitivas como a saliência motivacional e o aprendizado reforçado, além de motivação e medo.

Segundo essa tese, quanto mais cannabis uma pessoa consome, maior é o impacto negativo no sistema mesolímbico.

Para que fosse possível fazer esse teste, os pesquisadores reuniram 47 estudantes universitários. 25 deles faziam uso da cannabis — destes, 68% usavam cannabis com certo abuso. Os outros 22 estudantes não faziam o uso da substância.

Os participantes fizeram um teste chamado Effort Expenditure for Rewards Tasks (Dispêndio de esforço na obtenção de recompensas).

O resultado do estudo mostrou que os participantes tinham uma tendência maior em participar de tarefas de grande esforço caso a recompensa pelo esforço fosse maior, ou fosse mais fácil de ser obtida.

Aprofundando um pouco mais, os cientistas perceberam que os voluntários que faziam o uso de cannabis em abuso e haviam feito uso da substância no mês anterior ao teste, tinham maior probabilidade de escolher tarefas em que o esforço fosse maior, mas que a recompensa fosse melhor.

Segundo o estudo, “Os resultados fornecem evidências preliminares sugerindo que estudantes universitários que usam Cannabis são mais propensos a despender esforços para obter recompensas, mesmo depois de controlar a magnitude da recompensa e a probabilidade de seu recebimento. Assim, esses resultados não suportam a hipótese da síndrome amotivacional.”

Os pesquisadores afirmam, porém, que apesar dos testes contrariarem o mito de que a cannabis deixa as pessoas com “preguiça”, é preciso estudos mais profundos sobre o assunto.

Arthur Pomares

Jornalista e produtor de conteúdo da Cannalize. Apaixonado por café, futebol e boa música. Axé.

Mais Notícias