• 24 de junho de 2022

Câncer de Próstata: O que é, Causas, Sintomas, Prevenção e Tratamentos

 Câncer de Próstata: O que é, Causas, Sintomas, Prevenção e Tratamentos

O câncer de próstata é o tipo mais comum de câncer entre os homens, representando 29% dos diagnósticos da doença no país. Os dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam para 65.840 novos casos de câncer de próstata a cada ano, entre 2020 e 2022.

Geralmente este câncer cresce de forma muito lenta e na maioria das vezes não produz sintomas na fase inicial. Por esse motivo é muito importante que todos os homens façam exames para confirmar a saúde da próstata.

Os exames devem ser feitos a partir dos 50 anos, para a maioria da população masculina, ou em alguns casos, a partir dos 45 anos, quando existe histórico deste câncer na família.

Quando surgem os sintomas que possam levar a suspeitar de alguma alteração na próstata, é muito importante consultar um urologista para fazer exames de diagnóstico, identificar o problema e iniciar o tratamento mais adequado.

Mas o que é próstata?

A próstata é uma glândula do tamanho de uma noz, com 3 centimetros de diâmetro e aproximadamente 20 gramas de peso, presente apenas no sexo masculino.

Ela se localiza na base da bexiga e circunda a parte inicial da uretra, canal que leva a urina da bexiga para o pênis.

A próstata faz parte do sistema reprodutor masculino, sendo responsável pela secreção de um fluido alcalino que protege os espermatozoides do ambiente ácido da vagina e aumenta sua mobilidade, facilitando a chegada dos mesmos ao óvulo.

Por estar conectada a uretra, as alterações no tamanho da próstata podem comprimi-la e dificultar a drenagem de urina, causando sintomas de prostatismo.

A próstata encontra-se encostada ao reto, por isso ela pode ser palpada através do toque retal, um dos métodos mais simples de avaliação da glândula. 

Uma próstata aumentada de tamanho ou de forma irregular devido à presença de um tumor pode ser identificada facilmente por este método.


Causas

As causas do câncer de próstata consideradas adquiridas são as mutações genéticas que acontecem no decorrer da vida. 

Elas são resultado de falhas que ocorrem no processo de divisão celular, mais especificamente quando a célula produz uma cópia do seu DNA.

Até hoje ainda não está totalmente claro quando esses erros ocorrem espontaneamente e quando eles surgem devido a outro fator. Porém, as pesquisas indicam que as principais causas adquiridas do câncer de próstata são:

  • Elevação dos níveis de hormônios masculinos, principalmente a testosterona; 
  • Aumento das taxas do IGF-1 ou fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1,que ocorre em resposta ao hormônio do crescimento ou GH; 
  • Inflamações na próstata, como a prostatite; 
  • Exposição a agentes que aumentam o risco de câncer em geral, como o tabaco, alimentos gordurosos e substâncias utilizadas na produção industrial.

Além disso, algumas mutações genéticas capazes de causar o câncer de próstata são transmitidas de pai para filho, recebendo assim o nome de “hereditárias”. Elas são responsáveis por cerca de 10% dos casos dessa doença.

Principais sintomas

Os sintomas dos câncer de próstata costumam ocorrer por causa da obstrução da uretra pelo tumor. 

Entretanto, como a doença costuma progredir lentamente, essa obstrução normalmente só se torna aparente nas fases mais avançadas do câncer.

Quando o tumor cresce em direção à uretra e causar obstrução, os sintomas mais comuns são:

  • Dificuldade para urinar.
  • Jato de urina fraco.
  • Dor ao urinar.
  • Necessidade de urinar com frequência, uma vez que, com a obstrução da passagem da urina, a bexiga está frequentemente cheia, conseguindo apenas esvaziar pequenos volumes de cada vez.


Possíveis tratamentos

Após ser diagnosticado com o câncer de próstata, a escolha do melhor tratamento depende dos fatores individuais do paciente e do estágio da doença, se está na fase inicial ou avançada.

Geralmente os tratamentos são feitos da seguinte forma:

Cirurgia de remoção da próstata (prostatectomia radical): Consiste na retirada de toda a próstata e as vesículas seminais, incluindo ou não os linfonodos. Pode ser feita com técnicas tradicionais (aberta), por vídeo (laparoscopia) ou por robô.

Radioterapia externa:  É feita através da irradiação da próstata feita externamente. Em geral, o tratamento é feito durante sete a oito semanas. 

Radioterapia interna (braquiterapia): É um tipo de radioterapia que consiste na colocação de pequenas fontes radioativas no interior da próstata, indicado apenas para tumores de pequeno porte, de evolução lenta e com PSA inferior a 10 ng/mL. 

Observação ativa: Na maioria, é feito em homens mais velhos (acima de 75 anos) ou com outros problemas graves de saúde, a melhor opção pode ser não realizar nenhum tratamento imediato em caso de câncer de próstata de baixa agressividade, poupando o paciente dos efeitos colaterais.

Terapia hormonal (hormonioterapia): É feita com o uso de medicamentos orais e injetáveis para reduzir os níveis e/ou os efeitos dos hormônios masculinos testosterona e dihidrotestosterona, que aceleram o crescimento do tumor.

Quimioterapia: Trata-se da administração de medicamentos orais ou injetáveis para combater as células cancerosas, geralmente indicada quando o câncer de próstata apresenta metástase.

Prevenção 

A prevenção do câncer de próstata consiste em minimizar os fatores de risco para essa doença. 

Não é possível eliminar alguns fatores como idade, etnia e influência genética, por exemplo, mas existem algumas medidas relacionadas ao estilo de vida que podem reduzir as chances de desenvolver esse tumor, incluindo:

  • Ter alimentação saudável
  • Praticas atividades físicas
  • Controlar o peso
  • Não fumar
  • Evitar o álcool. 

Além disso, é essencial estar em dia com as consultas e exames de rotina.

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias