• 19 de maio de 2022

Canabinoides ácidos da cannabis podem ser eficazes contra duas variantes da COVID-19

 Canabinoides ácidos da cannabis podem ser eficazes contra duas variantes da COVID-19

Foto: Freepik

O estudo feito em laboratório testou dois tipos de canabinoides contra a proteína Spike do coronavírus. O componente é o principal alvo das vacinas.

Segundo um estudo realizado em conjunto com duas universidades dos Estados Unidos, dois compostos presentes na cannabis podem bloquear a entrada da Covid-19 nas células humanas saudáveis.

O estudo foi desenvolvido pela Universidade Estadual do Oregon e da Universidade de Saúde e Ciência do Oregon e publicado no Jorunal Of Products.

Os pesquisadores descobriram que o ácido canabigerólico (CBGA) e o ácido canabidiólico (CBDA), encontrados no cânhamo, têm a capacidade de se ligar à proteína Spike do Coronavírus.

O Spike nada mais é que a estrutura usada pelo Sars Cov-2 para invadir as células humanas.

Foto: Freepik

Leia também: Canabinoides ácidos: o que são e quais as diferenças

Proteína spike x canabinoides ácidos

No estudo feito em laboratório, os cientistas testaram os canabinoides ácidos tanto na variante Alfa quanto na Beta do vírus da Covid. 

A proteína é o alvo das principais vacinas para prevenir contra o coronavírus.  Embora ainda precise de mais estudos, este pode ser um sinal de que os compostos da cannabis podem ser usados em medicamentos de prevenção.

“Esses compostos podem ser tomados por via oral e têm uma longa história de uso seguro em humanos”, disse Richard van Breemen, pesquisador do Centro Global de Inovação em Cânhamo do Estado do Oregon e o principal autor do estudo, em um comunicado. “Eles têm o potencial de prevenir e tratar a infecção por SARS-CoV-2.”

E o CBD?

O cânhamo é uma subespécie da cannabis sativa bastante utilizada na indústria farmacêutica, pois possui bastante Canabidiol (CBD) e pouco tetraidrocanabinol (THC), componente que gera os efeitos alucinógenos da maconha. 

Contudo, a cannabis também possui outras centenas de canabinoides, que podem aparecer antes que o CBD seja formado. É o caso dos canabinoides ácidos, por exemplo. Eles são a forma natural das moléculas encontradas na planta.

 Eles deixam de ser ácidos por meio do calor, quando ocorre uma reação química que remove o grupo de ácido carboxílico e libera CO2. O processo é conhecido como descarboxilação. É só depois que canabinoides como o CBD e o THC aparecem. 

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias