• 17 de abril de 2021

Canabidiol para problemas vasculares

 Canabidiol para problemas vasculares

Foto: Freepik

Embora as evidências ainda sejam escassas, condições relacionadas a problemas vasculares já são exploradas por pacientes.

Em janeiro de 2021 o youtuber Felipe Neto usou o Twitter para dizer que a sua avó de 94 anos está fazendo o uso do canabidiol (CBD) para o tratamento de problemas vasculares nas pernas.

No post ele ainda comentou “Por quantos anos fomos proibidos de ter acesso a esses tratamentos por questões puramente ideológicas e estúpidas?”

O CBD é uma das principais substâncias da cannabis, chamadas de canabinoides. Ele ficou conhecido por suas propriedades anti-inflamatórias, e principalmente por não possuir os efeitos psicotrópicos da maconha.

Ele e outros canabinoides encontrados na planta, têm sido fortes aliados em várias condições, como epilepsia de difícil controle, insônia e ansiedade.

Mas será que funciona no tratamento de dores vasculares mesmo?

Foto: Freepik

Tipos de problemas vasculares

Existem vários tipos de problemas vasculares causados por vários motivos. Por isso, como em qualquer tratamento, primeiro precisamos entender o que pode causar e quais são as condições que geram os problemas.

Aqui, eles estão diretamente ligados a problemas nas artérias, das veias e nos vasos linfáticos, responsáveis pelo sistema circulatório do sangue.

Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) são as principais causas de mortes no mundo. Em 2016, por exemplo, elas foram responsáveis pela morte de 31% de pessoas do planeta inteiro.

Isso porque a principal função deste sistema é drenar sangue para o coração e de volta para o resto do corpo.

Mais precisamente drenar a linfa dos tecidos do corpo, uma espécie de líquido que elimina as impurezas produzidas pelas células.

Contudo, há o risco de o processo não funcionar de forma adequada, gerando prejuízos. Os problemas mais frequentes, que podem atingir até 90% da população, são aqueles ligados ao sistema venoso, ou seja, que levam o sangue ao coração.

Um exemplo muito comum, são as varizes, que se dão nos membros inferiores, como as pernas. Mais ainda em mulheres acima dos 40 anos.

Parece um problema simples, mas pode gerar cansaços nas pernas, complicações como trombose, inflamações e até úlceras.

Além dos vasos, problemas nas artérias podem gerar a falta de circulação, o que resulta em feridas profundas, perdas de membros por trombose e até Acidente Vascular Cerebral, o famoso AVC.

Diagnóstico e Causas

Dificuldades para andar, inchaços, formigamentos, dores e fraquezas em membros inferiores, tudo pode ser um sinal de alerta para procurar um médico.

As causas vão depender de uma série de fatores. Se os problemas são nas artérias, por exemplo, podem ser resultados de obesidade, diabetes, sedentarismo, tabagismo e até alterações metabólicas.

Três estudos brasileiros feitos no ano passado, também associaram a causa ao novo Covid-19 a problemas vasculares.

Em um deles, os pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) perceberam lesões nas células que revestem os vasos sanguíneos dos pulmões, o que pode ocasionar trombose.

A cannabis pode ser uma solução?

Já falamos aqui sobre a nota divulgada pela American Heart Association, entidade voltada à saúde cardiovascular dos Estados Unidos.

Na sua declaração divulgada em agosto do ano passado, ela diz que fumar maconha ou inalar cannabis pode fazer mal para o coração, além de prejudicar os pulmões e os vasos sanguíneos.

A nota ainda ressalta que o seu uso pode desencadear condições cardiovasculares, como ataque cardíaco e derrame. Além de um potencial na interferência em medicações voltadas a problemas cardíacos.

Provavelmente o médico ou a médica que cuida da avó de 94 anos do Felipe Neto sabe disso. Mas então, por qual motivo ele medicaria cannabis?

O principal canabinoide da cannabis na maconha é o tetraidrocanabinol (THC). Ele é o maior responsável por gerar os efeitos psicotrópicos da planta, o famoso “barato”.

Isso não quer dizer que ele seja um vilão. As suas propriedades também são importantes em condições como Alzheimer, Esclerose Múltipla e dores crônicas.

No entanto, falando de doenças vasculares, a molécula mais indicada é o Canabidiol.  Os estudos ainda são escassos e focam em algumas condições relacionadas a doenças vasculares individuais. Porém mostram a ação do canabinoide de forma positiva.

Estudos têm mostrado que o CBD possui efeitos neuroprotetores, que são eficientes na contenção de danos às células.

Isso pode ser eficaz em condições como o AVC. O canabidiol pode proteger os neurônios e os astrócitos, o que pode levar a uma recuperação funcional.

Ou seja, por mais que o problema apareça, os danos serão menores, onde é possível recuperar as funções.

Por outro lado, um estudo americano publicado em 2007 demonstrou resultados positivos do CBD na pressão sanguínea.

Uma única dose foi o bastante para mostrar resultados significativos em comparação aos voluntários que usaram placebo.

Contudo, já há estudos que destacam a sua ação na prevenção de acidentes vasculares, como uma pesquisa publicada pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA em 2017.

Ele diz que através do Sistema Endocanabinoide, os canabinoides da cannabis podem contribuir para um aumento na sinalização das células, a fim de aumentar o equilíbrio das funções do organismo.

Essa regulação das funções pode ser essencial na prevenção de doenças vasculares.

Avatar

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias