• 17 de abril de 2021

A diferença entre óleo de cânhamo e óleo de CBD

 A diferença entre óleo de cânhamo e óleo de CBD

Extraídos da mesma planta, é fácil confundir. No entanto, eles se diferem tanto na forma de extração quanto nos benefícios.

Talvez você deva estar se perguntando: são duas coisas diferentes? Pois é, apesar do óleo de canabidiol (CBD) ser extraído do cânhamo, os dois óleos não são a mesma coisa.

Se você chegou no universo canábico agora, é importante entender que a cannabis possui três espécies, a cannabis sativa, indica e ruderalis.

A mais comum aqui no Brasil, tanto para remédio quanto para o uso recreativo, é a sativa, que também possui várias subespécies.

Uma delas é o cânhamo. A sua principal característica é a quantidade mínima de tetraidrocanabinol (THC), componente que causa os efeitos psicotrópicos, e uma grande concentração de CBD.

Desta famosa subespécie de cannabis sativa é possível fazer não só remédios, mas combustíveis, plásticos, tecidos, comidas e muito mais.  Tudo na planta pode ser aproveitado.

Contudo, apesar de vir da mesma planta, dependendo da finalidade, os óleos são feitos de formas diferentes e com benefícios diferentes.

Óleo de canabidiol

Para entender melhor, é preciso destacar que o canabidiol geralmente é extraído das flores e folhas.

O CBD se trata de uma molécula, classificada como um canabinoide. O seu óleo é extraído em um processo que envolve solventes, azeites, e calor, chamado descarboxilação.

Quando descarboxilada, a estrutura molecular desses ácidos canabinoides muda. Durante esse processo, um grupo carboxila é liberado como CO2, com o átomo de hidrogênio.

Isso ocorre para converter o composto anteriormente inativo em uma forma ativa que interage com o corpo de uma maneira completamente diferente.

Uma vez ativados, estas moléculas podem interagir de maneira livre e direta com os receptores do Sistema Endocanabinoide, localizados em todo o corpo.

Óleo de cânhamo

Já o óleo de cânhamo é extraído das sementes do cânhamo, que nem possuem CBD. Estas sementes, que também podem ser comestíveis, são prensadas como a azeitona para a extração do óleo.

O sabor é parecido com a noz, tanto, que a semente também é conhecida como noz de cânhamo. Ela pode ser comida crua, processada para extrair o óleo ou moída em forma de farinha.

Em países onde o uso da planta é comum, é costume usar o óleo de cânhamo na comida, como fazemos com o óleo de oliva.

As sementes de cânhamo são consideradas como um superalimento vegetal, pois carregam um grande volume de nutrientes.

Elas possuem uma quantidade considerável de ômega 3, importante para o coração e para o cérebro.

Houve até um aumento na procura nos últimos anos, principalmente na Europa e nos EUA, pois além dos nutrientes, também é bom para a saúde do coração e as funções cardiovasculares.

Avatar

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias