• 24 de junho de 2022

Quais tipos de dores a cannabis pode tratar?

 Quais tipos de dores a cannabis pode tratar?

O uso doCBD para tratar certas dores pode ser eficaz apenas em situações específicas e diagnosticadas adequadamente.

Muitos de nós caímos em situações indesejadas e que arrancam de nós certos xingamentos diante da dor, como um cotovelo dando aquela encostadinha na borda da mesa ou um dedo mindinho em uma parte da cama na madrugada.

Contudo, existem outros tipos de dores que produzem menos choque, mas não eliminam a dor, e podem durar muito mais tempo. Mas ela é necessária. A dor serve como um processo natural do corpo, um sinal de alarme que avisa quando algo não está bem.

De acordo com a Associação Internacional para o Estudo da Dor: “A dor é uma experiência sensorial e emocional desagradável associada a uma lesão tecidular real ou potencial, ou é descrita em tais termos.”

Tipos de dores

As dores podem aparecer de várias maneiras, leves, moderadas, desconfortantes, agonizantes, curtas, longas e até crônicas. Ela serve como um mecanismo de defesa controlado pelo Sistema Nervoso.

Em geral, elas podem ser categorizadas como:

  • Dor Arguda: Possui uma função protetora para as pessoas, ela serve para nos alertar a evitar lesões ou situações potencialmente danosas. Ela também protege a parte do corpo ferido enquanto se recupera.
  •  Dor Corporal: É uma dor mais recorrente, que não necessariamente é fruto de lesões. Ela pode afetar a vida diária principalmente por doenças e se não tratada corretamente, pode levar a um problema crônico.

Contudo, há situações que a dor não é mais uma proteção, e se torna problemática. É então, que entram os remédios e claro, produtos à base de cannabis.

 

A cannabis como tratamento

Não é de hoje que as pessoas relatam melhorias signficativas nas dores com a cannabis.  A biomética Aline, por exemplo, só passou a ter qualidade de vida, depois que começou a utilizar cannabis para o tratamento das dores.

O atleta de BMX, Cauan Madona, também encontrou na cannabis o alívio nas dores e recuperação muscular, causada pelo esporte. Ou então, Agusto Saraiva, que possui uma doença rara degenerativa.

A cannabis é uma das poucas aliadas para o seu tratamento, principalmente para o controle das dores.

Estas e outras muitas histórias só provam que a cannabis pode ser uma alternativa útil e eficaz para o tratamento de dores.

Como a Cannabis ajuda a tratar as dores?

A Cannabis funciona através do Sistema Endocanabinoide, um sistema que influencia várias partes do corpo, como sono, humor, fome e claro, o Sistema Nervoso e Imunológico.

Ele ajuda a restaurar a homeostase, ou seja, o equilíbrio da maioria das funções do organismo. Se algo está desregulado, ele envia os chamados canabinoides,  produzidos pelo corpo, que ativam os chamados receptores para resolver o problema.

A cannabis também possui canabinoides, que podem interagir com os nossos recetpores como uma espécie de reforço aos nossos, principalmente nos receptores mais conhecidos, chamados de CB1 e o CB2.

Tanto o CBD quanto o THC

Engana-se quem pensa que apenas o Canabidiol (CBD) pode ajudar a aliviar as dores. Em muitos casos, o Tetrahidrocanabinol (THC), é o principal composto para gerar os alívios nas dores.

A junção deles e de outros componentes presentes na planta, como os terpenos e flavonoides, por exemplo, também podem potencializar os efeitos, no chamado Efeito Entourage.

Tipos de dores tratadas com a cannabis

Dores Crônicas

A dor neuropática, também chamada de dor crônica, é um dano nos nervos e geralmente está associada ao diabetes. Pode também causar lesão traumática que afeta de forma negativa os nervos com o passar do tempo.

Normalmente a neuropatia pode ser tratada com analgésicos, incluindo os opioides.

No entanto, em 2017, uma pesquisa publicada  pelo Journal of Pain Reserach observou uma associação entre cannabis vaporizada e a redução da dor neuropática. Além disso, os pesquisadores observaram e gravaram mudanças no alívio da dor , baseada sobre a dosagem de cannabis usada.

Por isso, a cannabis pode ser útil em condições crônicas como:

O CBD, por exemplo, impede a liberação de glutamato e outros agentes inflamatórios, o que o torna neuroprotetor e excelente para diminuir as sensações de formigamento e queimação causadas pela dor neuropática.

O CBD pode ser usado como um complemento para ajudar a controlar a dor neuropática, junto com outros suplementos naturais, como o glicinato de magnésio (aminoácido que aumenta a capacidade de absorção).

Dores Inflamatórias

Para os seres humanos, a comunicação é fundamental, não apenas a interpessoal, mas também a molecular. Os problemas relacionados a dor surge quando as células são danificadas por causa de lesões ou doenças crônicas.

Quando o corpo se sente danificado, aumenta a inflamação e começa a bombear agentes inflamatórios nas células. O objetivo é promover a morte da célula danificada, também conhecida como apoptose (morte celular).

Nosso corpo não se dá bem com células defeituosas e prefere que elas morram, isso é importante para nos livrarmos de um possível câncer e mantermos o funcionamento ideal. Mas, quando isso se torna uma condição crônica, é chamado de dor inflamatória.

Em 2010, a Future Medicinal Chemistry publicou uma revisão da pesquisa, examinando as evidências de como a cannabis pode funcionar como um medicamento anti-inflamatório.

De acordo com essa pesquisa, a cannabis interage com o Sistema Endocanabinoide e cria uma resposta anti-inflamatória no corpo.

O mecanismo anti-inflamatório do canabidiol, por exemplo, é exclusivo da cannabis. Não funciona como outros anti-inflamatórios diminuindo a função dos receptores, o que significa que você não corre o risco de desenvolver úlceras gastrointestinais ou ataques cardíacos.

Alguns estudos mostraram que os canabinoides como o CBD e o THC são até vinte vezes mais potentes anti-inflamatórios quando comparados como ibuprofeno.

Enxaqueca

Enxaquecas são um tipo de dor de cabeça frequente. Na maioria, essas dores afetam apenas um lado da cabeça e podem causar um incômodo latejante. Geralmente tem a duração de 2 a 8 horas, mas podem se estender a até 3 dias em alguns casos.

Até o momento, a enxaqueca não tem cura, por isso o foco dos tratamentos está na prevenção de crises e alívio dos sintomas.

Há séculos a cannabis tem sido usada no tratamento de enxaquecas. Entre os anos de 1980 e 1990 a planta era usada como remédio.

Conforme pesquisas foram feitas com o decorrer dos anos, muitos sugerem que a eficácia da cannabis no alívio da enxaqueca pode estar conectada aos canabinoides encontrados na planta, principalmente os mais conhecidos, o CBD e THC.

Tanto um quanto o outro ativam os receptores CB1 e CB2 do sistema endocanabinoide do organismo inibindo as respostas do sistema trigeminovascular ( neurônios no nervo trigêmeo que inervam os vasos sanguíneos cerebrais).

Ou seja, os canabinoides podem restringir a inflamação que causa as dores que acompanham enxaqueca.

Dores nas Articulações

Para pessoas com Artite Reumatoide, por exemplo, as dores nas articulações do corpo pode causar um sofrimento diário, que diminui a qualidade de vida.

Muitas pessoas são aconselhadas a controlar a dor com mudanças de estilo de vida, como exercícios e perda de peso. Apesar desses métodos serem efetivos, eles levam um certo tempo.

A cannabis é considerada um método promissor de alívio imediato da dor nas articulações.

A planta pode fornecer para algumas pessoas o alívio que elas precisam para se sentir motivadas a buscar mudanças no estilo de vida que irão melhorar os sintomas das condições delas por um longo tempo.

Fibromialgia

A Fibromialgia é uma doença crônica e sem cura. Ela é caracterizada principalmente por dores fortes por todo o corpo, além de outros sintomas.

Por muitas vezes, ela está relacionada a fatores emocionais, como ansiedade, depressão e estresse. Outras vezes, pode ser ocasionada por fatores do sistema nervoso.

Os canabinoides agem diretamenteno receptor CB2,  que influencia o Sistema Nervoso Central, auxiliando no equilíbrio dos comandos do organismo a nível celular.

As substâncias da planta interagem com os canabinoides do nosso próprio corpo para a sintonia. O que de certa forma, tem a capacidade de auxiliar o a sensibilidade excessiva que ocasiona a fibromialgia.

 Um estudo israelense de 2017,  feito por dois centros especializados em fibromialgia, ofereceu o tratamento canábico para 27 pacientes acima dos 30 anos com fibromialgia há mais de dois anos, que utilizaram a cannabis entre 10 a 11 meses, e todos eles relataram uma melhora significativa das dores.

A metade do grupo ainda relatou que havia parado de tomar os remédios tradicionais e ficou apenas com a cannabis.

Foto: Unsplash

Dores Musculares

A dor muscular geralmente é causada por tensão intensa em uma área específica ou inflamação grave. Quando essas coisas são formadas no corpo, pode resultar em dores que variam de leve a forte e pode ser causada por diversos fatores, como:

  • Estresse;
  • Tensão;
  • Lesões;
  • Infecções;
  • Doença de Lyme;
  • Artrites;
  • Cólicas musculares.

Os canabinoides funcionam como uma ajuda para acalmar o sistema nervoso. Isso pode ajudar a aliviar dores musculares, que podem aumentar devido a uma sobrecarga neste sistema.

Quando você tem dores musculares, ela pode ser causada por uma grave inflamação em alguma parte do seu corpo e como dito, a cannabisa também auxilia nas inflamações.

Pelo fato de reduzir a inflamação em seus músculos e articulações, pode mantê-los flexíveis. Isso acontece porque ajuda a se recuperar rapidamente e evitar futuras dores, causando prejuízo a eles.

Quais as recomendações sobre o uso do CBD para o alívio de dores?

É importante ressaltar que qualquer produto feito com a cannabis precisa ser prescrito por um médico, que inclusive, poderá indicar qual o melhor tratamento para a sua condição.

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar desde a prescrição até a importação do produto. Clique aqui.

Quando tomado regularmente, o CBD pode proporcionar alívio na inflamação. Contudo, a cannabis é uma medicina individualizada, por isso, é difícil entender qual a dose ideal. O médico pode prescrever doses três vezes por dia ou quando paciente sinta as dores, por exemplo. 

Efeitos colaterais

A cannabis é conhecida por possuir efeitos colaterais mínimos.

A sonolência é o principal efeito do CBD, por exemplo. No entanto, a diarreia também pode aparecer. Esta reação não é exatamente do canabidiol, mas sim a forma farmacêutica utilizada, principalmente quando é usado poucas vezes e em grandes quantidades.

Já a lista de efeitos do THC são um pouco maiores. Primeiro que ele é a principal substância da maconha, por isso, pode causar efeitos alucinógenos.

Remédios com potências maiores do canabinoide podem resultar também em tontura, boca seca, ansiedade, alteração da cognição e problemas de memória.

Onde comprar

Há três formas de comprar produtos à base de cannabis no Brasil:

Farmácias. No final de 2019 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a venda de produtos à base de cannabis nas drogarias apenas com receita médica. Contudo, as empresas precisam de uma autorização da agência para poder vender.

Hoje são poucas farmacêuticas que possuem o documento.

Associações. Geralmente as entidades sem fins lucrativos plantam a cannabis e vendem o óleo a preço de custo. Para isso, geralmente é preciso ser associado e pagar uma taxa anual.

Importação. Pensando em variação de produtos, outra forma de comprar o óleo é através da importação. Contudo, é necessário uma autorização excepcional da Anvisa.

Preço

Os valores podem ir de R$150,00 a R$3 mil. Ele pode variar de acordo com a forma em que é adquirido e até a condição médica tratada.

Referênicas:

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias