• 28 de fevereiro de 2021
Panaceia Canábica

Panaceia Canábica

Caroline Apple é jornalista, publicitária e idealizadora e apresentadora do projeto Namastreta, onde aborda temas como política, religião, ciência e diretos humanos pelo olhar da espiritualidade e do autoconhecimento. Trabalhou em veículos como Folha de S.Paulo, Agora SP, R7 e UOL. Foi repórter do Sechat, onde adentrou para o universo da cannabis. Hoje atua como ghostwriter de textos sobre Cannabis Medicinal e gerencia as redes sociais de empresa do ramo. É uma entusiasta da planta e de todo o seu potencial terapêutico, além de acreditar no cânhamo como o futuro da indústria como uma forma de aliviar o planeta de processos insustentáveis, como o uso do petróleo.

Nunca existiu uso “recreativo” de Cannabis; a busca é sempre terapêutica

Descansa militante. Já vou explicar. Você já parou para pensar os reais motivos que te levam a fumar um baseado? Apesar de cada pessoa ter uma busca individual em relação ao uso, muitos dos efeitos desejados estão diretamente ligados ou esbarram em questões como: tranquilidade, calma, relaxamento, descontração, aumento da sensibilidade dos sentidos, aproveitamento do […]Leia mais

Cannabis não é assunto pra dar pitaco; estude antes de falar

Pode soar meio arrogante esse papo de mandar as pessoas estudarem antes de opinar sobre alguma coisa. Mas, gente, convenhamos, é o mínimo. Principalmente quando o assunto envolve saúde, como é o caso da Cannabis. Faço parte de diversos grupos sobre Cannabis e medicinas da floresta, como ayahuasca e rapé, onde também ocorrem discussões sobre […]Leia mais

A divina desobediência do Padre Ticão

Mal demos as boas-vindas ao tão esperado 2021 e logo nos despedimos do Padre Ticão. A dança da vida tem dessas. A passagem de alguém querido sempre gera dor, mas vou me poupar do sofrimento, porque o que este homem fez como ativista canábico pelas pessoas que precisaram é para ser aplaudido e lembrado como […]Leia mais

Uma maconheira que não fuma maconha

Esta coluna é um presente! Sou apaixonada por Cannabis, mas para a decepção de algumas pessoas, eu não fumo. Fumei muito na minha adolescência, mas naquela época a gente não falava sobre seus potenciais terapêuticos. Era uma ferramenta aparentemente de diversão, porém, com o tempo, aprendi que não existe uso recreativo da Cannabis, ela sempre […]Leia mais